Archive for agosto \20\UTC 2010

Ode ao mau gosto

20/08/2010

Projetos válidos pela coragem em transformar o mau gosto em linguagem visual.

XXXO da M.I.A. é um sonho de power point, gifs animados elevados à enésima potência.

E em Londres, a partir de setembro, acontece o Anti Design Festival.  A proposta dos idealizadores é romper a apatia das estéticas comerciais e promover ideias desafiadoras. O site do projeto já vislumbra o que podemos esperar das criações. Leia o manifesto aqui.

Anúncios

Votos reais, partido virtual

16/08/2010

Como a internet e as novas tecnologias estão configurando a articulação de iniciativas democráticas? Uma pista foi dada aqui, num recente post da Webcitizen que indagava: Podemos, todos nós, governar? Se dirigirmos a pergunta para os idealizadores do Senator Online (SOL), a resposta certamente será “sim”.

O SOL é um partido político virtual criado para representar o desejo da maioria dos cidadãos australianos. Funciona assim: no site do partido, as leis que irão à votação no Congresso são exibidas. As pessoas votam na alternativa que acreditam ser a melhor escolha. De posse do resultado, o representante do partido vota no congresso de acordo com a decisão da maioria.

Os proponentes do partido defendem um sistema de representação que devolva voz aos cidadãos e diminua influências de corporações e lobistas nas decisões políticas do país. A proposta baseia-se em utilizar a internet como meio de aproximação entre cidadãos e política, reunindo informações sobre leis, políticos e atividades do congresso, que poderão estimular discussões e trocas entre os cidadãos. O partido explica que não apresenta nenhuma agenda política ou plataforma e que a intenção é mesmo disponibilizar informação imparcial sobre os projetos apresentados no Congresso, inclusive explicar as proposições de cada um com listagem de argumentos contra e a favor.


O site se encontra ainda em fase de pré-eleições, o que significa que o candidato do partido (já anunciado) ainda precisa entrar em campanha e ser oficialmente eleito para que o ideal do projeto seja posto em prática. Todas as propostas são abertas ao debate, do layout do site à dinâmica de como acontecerão os votos, a idéia é construir tudo colaborativamente.

A proposta do SOL levanta algumas questões sobre como as articulações democráticas se configurarão num futuro bem próximo. O trabalho dos políticos poderá se resumir apenas a uma função operacional de acordo com a vontade da maioria? O que impedirá que escolhas motivadas por resoluções de curto prazo, como por exemplo a rejeição de impostos necessários, sejam acatadas? Como grupos de minorias poderão ter sua opinião validada? Quais as novas habilidades os políticos deverão somar à sua atuação no mundo virtual?

Acompanharemos as transformações.



Arte terapia

12/08/2010

Meet Me é um projeto encantador do MoMA que leva pacientes diagnosticados com Alzheimer ao museu.

Agora em parceria com outros centros de arte pelos EUA, o programa promove uma oportunidade para os pacientes e seus acompanhantes de visitarem as exposições – vários deles são artistas e/ou antigos frequentadores dos museus -, estimulando a formação de novas memórias, diálogos e interações a partir da apreciação das obras.

Para mais, veja aqui um vídeo da TV americana que acompanha um grupo de pacientes em visita ao museu.

Moda e copyright

08/08/2010

Na indústria da moda há poucas leis que regulam os direitos autorais e as relações de propriedade são mais fluídas. O resultado é a proliferação de cópias e, por incrível que pareça, uma indústria mais criativa e dinâmica.

A pesquisadora Johanna Blakley explicou como a ausência de leis sobre propriedade intelectual podem ser mais estimulantes para os designers de moda. A cada nova coleção, eles precisam criar propostas mais inovadoras imprimindo um caráter autoral, que se diferenciem pela busca de novos materiais e referências. A cada estação, testemunhamos novos esforços de surpreender e inspirar a cultura de moda em todo o globo.

Johanna compara a indústria da moda com outras indústrias que regularizam a proteção contra cópias e argumenta que os modelos de propriedade no contexto da cultura digital precisam ser revisados.